Verso Réu, Meu Cárcere

VERSO RÉU, MEU CÁRCERE

Meus olhos parados à minha frente…
Um semblante esvaziado pela desilusão…
Os dias contados aos tragos de cigarro…
Nos labirintos da mente em sua imensidão…

As sombras menos densas…
As cores menos ousadas…
As caminhadas menos extensas…
Cada vez menos caminhadas…

Há marcas no meu rosto…
Sem propósitos, sem lembranças…
Dos sabores não sinto mais o gosto…
Nem da madrugada, nem das andanças…

Faz frio em minha alma…
E o calor que me inquieta…
Quanto mais preciso de calma…
Mais a loucura se injeta…

Vejo o mundo turvo e cinzento…
Máquinas torpes e suas engrenagens…
E no verso eu ardo em meus sentimentos…
Ardo em vida louca… verso réu, meu cárcere…

.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: