Ofício Ímpar

torno traço o pensamento.
lamentos angustiados.
sonhos para além do horizonte.
e riscos enlouquecidamente apaixonados.

torno traço e verso meu sentimento.
em busca de explosivas revelações.
misturando pecado, graça e rima louca.
colhendo restos de todos os furacões.

desalmados versos que ofendem,
mentem e perfuram minha realidade.

jogo lágrimas no papel.
jogo esperanças no céu.
dos meus versos eu confesso:
sou refém, juiz, carrasco e réu.

deles emanam reflexos;
truncados, vagos, trincados.
relfexos de quem sou.

premonições dos meus passados.
dores vindouras e dias de paz.
meus reflexos… meus outros eus.
simbioses ardentes, outro deus.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: