Sinto

seguia gallows pole, do led zeppelin, quando no papel caía o que se segue… escorrido…

às vezes eu sinto e… sou.
outras, poucas, sinto e vou.
sinto o que todo mundo sente.
penso que é truque do tempo,
mas o tempo, eu sei, não mente.

dele arranquei dúvidas.
confessei a loucura.
nele encontrei monstros.
encontrei bravura.

mas dói na carne o sentimento.
sinto, escorro…
sinto, sofro, peço socorro.

não vêm mãos ou olhares.
poucos sorrisos no horizonte.
enquanto naufrago no meu tempo.
onde sofri e escorri… e senti.

mantenho minha bandeira.
como sangue novo, escarlate.
resta pouco de humano.

e dói o vazio desta alma imensidão.
imersa na loucura ao som de gallows pole.
enquanto tropeço em busca de paixão,
sinto, sofro, morro, vivo… apenas, agora, sou.

despreendido, entorpecido por veneno e dor.
peçonha dos prédios apertados e muita, muita dor.
encurralado nos labirintos de insana solidão,
flagrado nos limites do absurdo vago amor.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: