Aos Vícios

Quando escrevo penso estar arrancando de mim cada palavra, cada sensação. Tentando cravar meus sentimentos em frases construídas, algumas vezes, sem motivo algum, sem razão. Penso que posso parar… Talvez parar eu realmente possa. Não penso que deva parar, pois este tipo de atitude nem meu verso, nem minha carne, alma ou sangue… nem minha história endossa.

Ainda é estranha a pergunta… Verso é Vício?

Verso e Vício

Verso é vício.
Lâmina selvagem,
sedutora e sensual.

Verso ofício.
Meio e mensagem,
explosão fractal.

Verso omisso,
sem compromisso,
sem dor ou verdade.

Verso furioso,
metódico e saboroso,
carinhosa brutalidade.

Reflexos e versos
são espelhos da civilização.

Verso ofício e vício
que leva ao limiar da paixão,
em loucura leviana e ardente
imersa em indecifrável razão.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: